terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Visita técnica - UFU

No último dia 21, recebemos no Parque Estadual do Pau Furado a visita dos estudantes do curso de Engenharia Ambiental e Agronomia da Universidade Federal de Uberlândia. Os estudantes e a professora Tatiane Morais, visitaram uma área em recuperação o mirante e a Cachoeira do Marimbondo. A visita foi parte da disciplina 'Recuperação de Áreas Degradas, ministrada pela professora.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Forragicultura é tema de palestras


Serão discutidos o manejo e a conservação de forragens

Nos dias 27 e 28 de fevereiro e 6 e 7 de março a Faculdade de Medicina Veterinária (Famev) vai promover uma série palestras sobre manejo e conservação de forragens. Dirigido a produtores rurais, profissionais do agronegócio e estudantes da área, o evento consistirá em 11 palestras proferidas por discentes dos cursos de Agronomia e de Medicina Veterinária da UFU, sob coordenação do professor Leandro Barbero, da Famev.
“O Brasil apresenta uma vasta área de pastagens e, aproximadamente, 90% da atividade pecuária são realizadas em regime de pasto. Entretanto, estas áreas encontram-se com aproximadamente 80% do seu total em algum estado de degradação. Diante do exposto, o uso de técnicas de manejo de pastagens dentro da propriedade podem contribuir para reverter este processo”, observa Barbero.
As atividades serão realizadas no anfiteatro do bloco 4K, no Campus Umuarama no período da tarde. As palestras terão duração de 20 minutos com 10 minutos destinados a debates com a plateia.
As inscrições, gratuitas e abertas à comunidade, podem ser feitas pelo e-mail forragiculturaufu@gmail.com ou pelos telefones 9915-0722, 9997-3590, 9997-1918 e 9979-0651 ou no local do evento.

Fonte: DIRCO

Laboratório da Biologia promove curso de monitoramento de fauna atropelada


O Laboratório de Ecologia de Mamíferos (LEMA) do Instituto de Biologia da Universidade Federal de Uberlândia está promovendo o curso de Protocolo de Monitoramento de Fauna Atropelada, oferecido pelo Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia em Estradas (CBEE) da Universidade Federal de Lavras (UFLA). O curso acontecerá no dia 25 de Fevereiro no auditório do bloco 5S, no campus Santa Mônica, das 13h às 18h.
O professor Alex Bager, doutor em ecologia e coordenador do CBEE será um dos participantes do evento que é direcionado a profissionais e estudantes interessados em ecologia de estradas. O valor das inscrições é de R$ 40,00 e o pagamento deverá ser efetuado presencialmente antes do início do curso.
As pré-inscrições podem ser realizadas através do link:https://docs.google.com/forms/d/16GW9rl456ejtxlb8uQpEai3oizsbNwEIaggKMvakm0g/viewform.
O curso foi organizado para capacitar grupos de pesquisa, agências governamentais, empresas e ONGS interessadas em adotar um protocolo unificado de coleta de dados em todo território brasileiro. Este protocolo vai proporcionar que todas as informações de monitoramento de animais atropelados sejam comparáveis em termos espaciais e temporais.


Mais informações pelo e-mail: cbee@dbi.ufla.br e através do site http://cbee.ufla.br/portal/.

Fonte: DIRCO

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Uberlândia quer chegar a 1 milhão de árvores plantadas

Município precisa plantar cerca de 120 mil árvores
(Foto: Reprodução/TV Integração)


Uberlândia tem o objetivo de chegar a 1 milhão de árvores, antes que a população atinja essa marca. Para isso, o município precisa da ajuda da população. No último levantamento feito em 2013, a Secretaria de Meio Ambiente da cidade apurou um número de 877 mil árvores na cidade.
De acordo com o diretor do Horto Municipal, Ascânio Oliveira, é possível alcançar a marca. “Nós temos que plantar cerca de 120 mil mudas nesses três anos que faltam. A gente vai atingir isso”, afirmou.
Em 2013, os servidores da Secretaria de Meio Ambiente foram chamados pela população para fazer 302 cortes de árvores e 464 podas. O Horto Municipal produziu mais de 141 mil mudas e, destas, quase 18 mil foram plantadas pela Secretaria e mais de 46 mil doadas.
Para alcançar a meta, a população da cidade precisa auxiliar. Atualmente, no Horto, estão disponíveis para os moradores cerca de 10 mil mudas de 80 espécies de árvores nativas e exóticas. “Para a área urbana, nós doamos uma espécie adequada para a arborização, para cada 10 metros de calçada”, explicou Ascânio.
As espécies mais procuradas, e ideais para plantar na área urbana, são as de pequeno e médio porte, que não atrapalham a rede elétrica e nem as calçadas. Dentre estas, estão as espatódias, o flamboyant mirim, a escumilha, a quaresmeira, o ipê e o pau-brasil.
Além disso, o Horto também produz mudas de árvores frutíferas, que são disponibilizadas somente a produtores rurais da cidade, e plantas ornamentais, que são usadas em espaços públicos e não estão à disposição da população.

Calor
A meta também pode ajudar em uma questão na cidade: o calor. De acordo com o climatologista da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Luiz Antônio de Oliveira, a diferença entre a temperatura de locais arborizados e outros sem árvores pode chegar a 10º C. “A temperatura do ar é condicionada, principalmente, pela cobertura do solo. É só a gente analisar uma cidade que tem uma densidade arbórea significativa e uma onde não tem cobertura vegetal. Então, realmente, isso acaba influenciando na temperatura como um todo, no geral da cidade”, explicou.

Fonte: G1

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Agricultores mineiros terão assistência técnica da Emater-MG




Horta de Capela Nova fornece produtos para oito escolas (Foto: Divulgação/Emater-MG)

Em 2014, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) deve prestar assistência a 7,2 mil agricultores familiares em 600 municípios mineiros para que eles participem do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). A iniciativa tem garantido a inserção de produtos da agricultura familiar no mercado institucional, fortalecendo o setor em muitos municípios mineiros.
O Pnae é um programa do governo federal que, por meio da lei federal nº 11.947, garante que 30% dos recursos para a merenda escolar sejam destinados à compra de gêneros alimentícios produzidos pela agricultura familiar. Dessa forma, o programa tem garantido um cardápio variado na merenda escolar e mercado para os agricultores familiares.
As atribuições da Emater-MG no programa abrangem desde a assistência técnica, mobilização de agricultores, emissão da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), orientação e elaboração de projetos, até capacitação dos agricultores em boas práticas de produção.
No ano passado, a Emater-MG orientou cerca de 7 mil produtores, em 556 municípios, visando à participação deles no Pnae. De acordo com o coordenador técnico estadual da Emater-MG e gestor do programa, Ademar Pires, a orientação da empresa tem facilitado a inserção dos agricultores familiares no Pnae e no mercado.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Inauguração célula Terra Branca

Inauguração da célula Terra Branca 


Gerente do PEPF, Bruno Alves,
 comenta sobre a inauguração  da célula
Aconteceu nesta última quinta-feira, 13 de fevereiro, a inauguração da célula Terra Branca  do programa da Rede de Vizinhos Protegidos, da qual fará parte o Parque Estadual do Pau Furado. 
Banda da Polícia Militar 
O Projeto Rede de Vizinhos Protegidos consiste em uma ação conjunta entre comunidade, Polícia Militar e outros agentes presentes na região com o objetivo de proporcionar maior aproximação entre a comunidade, onde é estabelecido um vínculo de interação solidária entre vizinhos para o combate à criminalidade local, na busca de soluções pertinentes aos problemas relativos à segurança dos moradores. Para isso, são criadas células de acordo com a proximidade das propriedades, para que haja uma melhor gestão da informação entre a comunidade e a Polícia Militar.
Estiveram presentes no local dentre os membros da comunidade, o gerente do Parque Estadual do Pau Furado, Bruno Alves, os funcionários do Parque, a Polícia Militar Rural.
A participação do Parque nesse projeto tem grande relevância, pois percebemos a importância de conhecer cada vez mais a comunidade, para estabelecer um bom relacionamento com a vizinhança e colaborar com a segurança de todos. Além disso, a gestão ambiental realizada por uma unidade de conservação deve ser vista para além da proteção da fauna e flora local, onde o ser humano também é incluído, juntamente com suas expressões sociais e culturais, em que a segurança pública tem papel fundamental.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Polícia Ambiental flagra criador e apreende 43 pássaros no bairro Gramado



Após receber uma denúncia anônima, a Polícia Militar Ambiental de Uberlândia apreendeu, na manhã deste domingo (9), 43 pássaros que eram criados irregularmente por um morador da rua Carlos Henrique Tassili, no bairro Gramado, zona norte da cidade. Por causa da ausência da licença da Polícia Ambiental, o criador e morador da residência, de 51 anos, foi preso em flagrante e terá que pagar uma multa de R$ 21,5 mil.
Segundo o artigo 29 da lei federal 9.605, o criador surpreendido sem licença pode sofrer a detenção de seis meses a 1 ano, além de ter que pagar uma multa de R$ 500 por ave apreendida.
A legislação ambiental considera como crime contra a fauna: matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização.
Os 43 pássaros apreendidos no domingo (9) serão soltos no habitat natural depois que a Polícia Ambiental levar as aves ao tratamento veterinário.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Usinas de Uberlândia fecham comportas devido à estiagem

Usinas fecham comportas para manter nível da
água (Foto: Reprodução/TV Integração)


O Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) anunciou nesta quarta-feira (5) que foram fechadas as comportas das represas que abastecem os reservatórios de água de Uberlândia. O motivo é tentar manter estável o nível da água. Segundo o departamento, como a quantidade de chuva está muito abaixo do esperado para os meses de dezembro e janeiro, o estado deve ser de atenção. O Dmae pretende diminuir atividades que precisam de grande quantidade de água, como o uso de turbinas hidráulicas.
Segundo o laboratório de climatologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), em janeiro choveu apenas um terço do previsto. Há cinco anos esse índice não é atingido no início do ano, e por isso a população deve ficar alerta ao desperdício de água, como lavando ruas e passeios.

Fonte: G1

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Informativo Pato Aqui, Água Acolá


O Instituto Terra Brasilis iniciou em janeiro de 2011 uma nova etapa do Programa Pato-mergulhão, desenvolvido desde 2001 na região da Serra da Canastra, MG.Esta nova etapa, denominada Projeto Pato Aqui, Água Acolá, conta com o patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental.
A região da Serra da Canastra, incluindo o Parque Nacional da Serra da Canastra e seu entorno, é considerada uma área chave para a sobrevivência do pato-mergulhão (Mergus octosetaceus), pois abriga a maior população conhecida da espécie, que figura entre as 10 aves aquáticas mais ameaçadas do mundo e, por isso, todos os esforços devem ser feitos para garantir a sua sobrevivência.
O Projeto Pato Aqui, Água Acolá tem o pato-mergulhão como foco e seu nome faz referência à importância da conservação da água para a sobrevivência da espécie e ao seu papel como indicador de qualidade ambiental: a sobrevivência do pato-mergulhão está associada à manutenção de ambientes conservados que, por sua vez, dependem da utilização de boas práticas de manejo e uso do solo. Assim, o projeto visa promover a conservação em longo prazo desta espécie, por meio deatividades de pesquisa e incentivo à proteção do seu habitat.
As atividades previstas para o projeto incluem estudos biológicos, experimentos demonstrativos de recuperação de áreas degradadas e educação ambiental.
As ações propostas visam reforçar e consolidar conceitos de boas práticas, promover mudanças de comportamento, valores e atitudes e manter o orgulho da comunidade por abrigar e oferecer condições de sobrevivência a uma espécie tão rara e criticamente em perigo de extinção. Para tanto serão envolvidos vários públicos: produtores rurais, estudantes, professores, profissionais do setor turístico, tomadores de decisão e representantes de instituições.
Aprimorar o conhecimento sobre o pato-mergulhão é de fundamental importância para subsidiar a proposição de medidas estratégicas, concretas e seguras de conservação, seja através da implementação de políticas públicas de conservação, ou através de ações diretas com a comunidade regional e seus visitantes. 

Fonte: Instituto Terra Brasilis

Visualize  o boletim na íntegra: Boletim Informativo

Saiba mais sobre o projeto no site: Terra Brasilis



segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Café da manhã de Aniversário do PEPF

Bruno Alves - gerente do Parque Estadual do Pau Furado 

No último dia 01, comemoramos o aniversário de 7 anos do Parque Estadual do Pau Furado com um delicioso café da manhã. Foi apresentado um vídeo com várias fotos da trajetória do Parque, montado para a ocasião pelo coordenador de áreas protegidas Leonardo Ogusuku. O gerente do Parque, Bruno Alves, agradeceu a presença de todos e contou um pouco sobre a história do PEPF.
Estiveram presentes funcionários do Parque e seus familiares, funcionários do SISEMA e a Patrulha Rural.
Agradecemos mais uma vez a presença de todos, e o carinho e empenho da equipe do PEPF.


IEF abre as comemorações do 70º aniversário do Parque do Rio Doce

Mais de 40 lagoas, árvores centenárias, madeiras nobres de grande porte e uma infinidade de animais nativos compõem o cenário do Parque Estadual do Rio Doce

TIMÓTEO - O Instituto Estadual de Florestas (IEF), em parceria com a Prefeitura de Timóteo, abre nesta quinta-feira (30), às 9:00h, as comemorações oficiais dos 70 anos de fundação do Parque Estadual do Rio Doce. As festividades, que vão durar o ano inteiro, serão iniciadas com um encontro na Associação dos Aposentados e Pensionistas de Timóteo, no bairro Olaria, para homenagem a 21 colaboradores que contribuíram de forma significativa para o crescimento e desenvolvimento da reserva ambiental.
Durante o evento desta quinta-feira será apresentado o cronograma de atividades comemorativas do aniversário do Parque do Rio Doce, a primeira unidade de conservação de Minas Gerais, criada oficialmente no dia 14 de julho de 1944, pelo Decreto Lei nº 1.119. A programação acontecerá durante todo o ano, tendo seu ápice em julho.

DOM HELVÉCIO
As comemorações dos 70 anos do PERD vão também homenagear o bispo Dom Helvécio Gomes de Oliveira, audacioso visionário com grande atuação ambientalista na região que ficou conhecida como o Vale do Aço. Foi Dom Helvécio – que dá nome à principal lagoa da reserva – quem iniciou a luta pela preservação da maior porção contínua de Mata Atlântica de Minas Gerais, no início da década de 1930, mas foi só em 1944 que criou-se oficialmente o Parque do Rio Doce.
O IEF, através do escritório regional Rio Doce e da administração do PERD, está mobilizando instituições parceiras e comunidades do entorno para participar do encontro nesta quinta-feira. O evento servirá também para consolidar a iniciativa de construção de uma grande rede de cooperação com foco na conservação ambiental, desenvolvimento sustentável e bem estar das comunidades locais.

PATRIMÔNIO NATURAL
Mais de 40 lagoas, árvores centenárias, madeiras nobres de grande porte e uma infinidade de animais nativos compõem o cenário do Parque Estadual do Rio Doce. As lagoas abrigam uma grande diversidade de peixes, que servem de importante instrumento para estudos e pesquisas da fauna aquática nativa. O PERD possui também um herbário, que, de forma sustentável, possibilita a identificação de espécies através da análise de suas características morfológicas, constituindo a base de inúmeras pesquisas.

FAUNA E FLORA
Na reserva é possível encontrar espécies da avifauna, como o beija-flor besourinho, chauá, jacu-açu, saíra, anumará, entre outros. Animais conhecidos da fauna brasileira também são frequentes, como capivara, anta, macacos-prego, sauá, paca e cotia, além de espécies ameaçadas de extinção, como a onça pintada, o macuco e o mono-carvoeiro, maior primata das Américas.
O Parque do Rio Doce ocupa uma área de 35.974 hectares e oferece também uma completa infraestrutura para atendimento a turistas e pesquisadores. Localizada a 248 quilômetros de distância de Belo Horizonte e a aproximadamente 20 quilômetros de Timóteo, a reserva ambiental ocupa mais de um terço da área do municípios, além de territórios de Marliéria e Dionísio.